Canela,

22 de fevereiro de 2024

Anuncie

Ju Alano

EDUCAÇÃO FINANCEIRA

Juliana Alano

SE VOCÊ NÃO SABE QUANTO CUSTA, COMO SABE POR QUANTO DEVE VENDER? • Juliana Alano

Compartilhe:

Caro leitor, hoje quero compartilhar um pouco sobre um dos aspectos responsáveis pela falta de lucratividade ou até mesmo a falência de muitos negócios. Praticamente todos os negócios que atendi até hoje com dificuldade financeira tinham graves falhas na formação de preço.

Vou apresentar um dos erros mais comuns em meus atendimentos que podem estar consumindo todo o seu lucro no final do mês e mostrar como mudar isso imediatamente. Adianto que adotar práticas erradas nestes pontos vai fazer seu negócio fracassar, mesmo que você trabalhe dia e noite sem parar.

Segundo Flávio Augusto “No mundo dos negócios, vencem os mais organizados, não os mais trabalhadores”.  Isso não significa que os empresários com menor capacidade de organização não possam crescer, desde que entendam isso como um dos seus pontos fracos e busquem ajuda profissional para cobrir esse gap em seu negócio.

Você talvez esteja pensando que organização não tem a ver com formação de preço. Eu afirmo, com absoluta convicção, que estar com o financeiro organizado é fundamental para ter uma estratégia de preços assertiva.

• SIGA A JULIANA NO INSTAGRAM

Para determinar o preço de venda de um produto ou serviço, é preciso levar em consideração três elementos: os custos do produto ou serviço, os preços e o comportamento dos consumidores.

Parece lógico, entretanto é muito comum os empresários desconhecerem os custos reais do seu produto ou serviço. Portanto, se você está inseguro e não tem clareza se os seus custos estão corretos, pare imediatamente e faça uma análise completa para evitar prejuízos maiores no futuro. Importante dizer que é neste ponto que muitos empresários deixam os lucros escorrer pelo ralo, pois o custo de um produto ou serviço envolve muito mais do que está diretamente relacionado ao preço pago ao fornecedor ou ao custo da mão de obra na prestação de serviço.

Os erros mais comuns em relação à estrutura de custos são: não separar custos da pessoa física e jurídica, não ter um pró-labore definido, não contabilizar pequenas despesas, precificar mão de obra ou hora máquina de forma errada, negligenciar as taxas “fantasmas” e não ter clareza dos impostos ou créditos dos mesmos.

Negócios com boas finanças veem a formação dos preços a serem praticados como uma tática. Sendo assim, a ausência desta visão gera efeitos diretos na competitividade do negócio, já que a formação dos preços envolve muito mais que custos e despesas. Por isso, caso você não saiba como precificar seu produto ou serviços, é importante colocar essa tarefa na sua lista de prioridades.

Precificação pode ser um processo simples e muito importante para seu negócio, pense nisso!