Canela,

21 de maio de 2024

Anuncie

Parobé: mulher morre após gaze esquecida dentro do corpo em parto cesariana

Compartilhe:

Foto: Lilian Moraes / Divulgação

Polícia Civil instaura inquérito para apurar responsabilidades

Mariane Rosa da Silva Aita, de 39 anos, morreu nesta quarta-feira (23), após complicações por uma gaze esquecida dentro de seu corpo em um parto cesariana feito no Hospital São Francisco de Assis (HSFA), em Parobé. A vítima passou pelo procedimento no dia 12 de junho e então, começaram os transtornos.

Segundo familiares, Mariane morava em Três Coroas, mas escolheu o hospital de Parobé por ser referência. Dias depois da alta, ela reclamava de muita dor na região da barriga e realizou um exame de imagem, onde o material esquecido foi identificado.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

No dia 14 deste mês, ela foi internada outra vez, no mesmo hospital, para a realização da cirurgia de retirada do objeto. Segundo a mãe da vítima, Márcia Rosa da Silva, os médicos retiraram um ovário e um pedaço da trompa, e deram antibiótico.

Ainda segundo Márcia, uma semana depois, a filha foi diagnóstica com uma infecção maior pelo corpo. “Esperaram mais uma semana para resolverem que a infecção estava maior. Daí fizeram uma nova tomografia com contraste e operaram. Mas daí já era tarde. Não teve mais o que fazer, a infecção já tinha tomado conta dos outros órgãos, não tinha mais o que tirar”, relatou.

O prefeito de Parobé, Picucha, realizou uma reunião na manhã de hoje (24), com o diretor do HSFA, João Schmitt, com a secretária de Saúde, Ana Elisa de Lima, e com o responsável técnico da Secretaria de Saúde, Newton da Rosa, para exigir a troca imediata do responsável técnico e de toda direção técnica da casa de saúde.

“Mesmo o hospital sendo de responsabilidade da gestora e não do Município, na posição de prefeito tenho a obrigação e a responsabilidade de cobrar todas as instituições do município, ainda mais no que se refere a saúde. Visto o recente óbito de uma mãe, somado a diversos fatos que tem ocorrido no hospital, cobramos e impomos a troca da responsabilização técnica do nosso hospital, que será feita imediatamente. Não podemos admitir que um trabalho de excelência feito pelo hospital e por uma equipe comprometida, reconhecido em várias áreas, seja manchado por alguns tristes fatos isolados, que além disso acarretam em perdas de vidas”, justificou Picucha.

Polícia Civil instaura inquérito para investigar a morte

”Foi instaurado inquérito policial e será realizada a oitiva das partes envolvidas para verificar a procedência das informações e analisar se houve ilícito penal na conduta dos profissionais responsáveis”, disse Francisco Leitão, responsável pela Delegacia de Polícia de Parobé.

A família de Mariane registrou o óbito, com a denúncia do esquecimento da gaze, na delegacia de Novo Hamburgo. Um inquérito já foi instaurado para apurar as circunstâncias e causas da morte da paciente.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

O Hospital São Francisco de Assis emitiu nota a respeito do fato. Leia na íntegra:

“O HSFA esclarece que as matérias publicadas possuem informações inverídicas, eis que conforme prontuário e relato dos profissionais envolvidos no atendimento, o óbito ocorreu por complicação pós-cirúrgica descrita na literatura e não previsível. O tratamento requer intervenção cirúrgica e todas as medidas adotadas foram corretas.

Ao contrário do noticiado, em nenhum momento a causa da morte foi informada pelo hospital como sendo ‘causas naturais’.

Lamentamos profundamente a perda da família e todas as informações referentes ao atendimento estão à disposição dos familiares.

Por fim, gostaríamos de deixar claro que, mesmo com dificuldades, trabalhamos há mais de 40 anos pautados nos ditames éticos e legais vigentes para oferecer a melhor assistência para a região de mais de 2 milhões de pessoas atendidas pelo HSFA e que não toleraremos notícias falsas e caluniosas contra esta instituição e seus colaboradores”. 

Fonte: Repercussão Paranhana