Canela,

11 de abril de 2024

Anuncie

Raro espetáculo celestial: “Superlua Azul” iluminará os céus nesta quarta-feira (30)

Compartilhe:

Nova aparição é prevista somente em 2037

Um evento celestial digno de admiração e fascínio está prestes a iluminar os céus neste mês de agosto, trazendo um espetáculo raro para os amantes da astronomia e curiosos em geral. Na quarta-feira, dia 30, uma “Superlua Azul” estará em exibição, com condições climáticas favoráveis previstas para a maior parte do Estado do Rio Grande do Sul, tornando a região um dos pontos mais propícios para a observação deste fenômeno no país. Esse fenômeno é marcante não apenas por ser uma Superlua, mas também por ser a segunda vez no mês que a Lua cheia aparece, um acontecimento que só se repetirá em 2037, segundo informações do Virtual Telescope Project compartilhadas com a agência de notícias Associated Press.

O termo “Superlua” é usado quando a Lua cheia coincide com seu ponto mais próximo à Terra em sua órbita elíptica. Isso cria a ilusão de que o disco lunar está maior e mais brilhante no céu, capturando a atenção dos observadores em todo o mundo.

Essa extraordinária conjunção ocorre devido à forma elíptica da órbita lunar ao redor da Terra. A distância entre os dois corpos celestes varia à medida que a Lua completa sua trajetória. O ponto mais próximo à Terra é chamado de perigeu, enquanto o ponto mais distante é chamado de apogeu. Na quarta-feira, a Lua estará extremamente próxima, a apenas 357.344 quilômetros de distância, comparada ao apogeu, que pode chegar a cerca de 405 mil quilômetros. Essa proximidade aumenta seu tamanho aparente em até 14% em relação aos momentos em que ela está mais distante.

O segundo elemento desse evento é a ocorrência da segunda Lua cheia dentro de um único mês, também conhecida como “Lua Azul”. Esse termo não se refere à cor da Lua, mas sim à repetição de uma Lua cheia no mesmo mês do calendário ocidental. A combinação entre esses dois fenômenos cria a “Superlua Azul”, um espetáculo raro e cativante.

Guilherme Marranghello, professor de Astronomia da Unipampa, destaca que a Lua Azul é uma união entre um fenômeno natural e uma convenção humana, representada pelo calendário. A combinação disso com a posição da Lua em relação à Terra durante agosto torna o evento ainda mais interessante para os entusiastas da astronomia.

Superluas costumam ocorrer de uma a seis vezes por ano, de acordo com o Observatório Nacional. Já a repetição da Lua cheia em um mesmo mês (Lua Azul) acontece aproximadamente a cada dois ou três anos, de acordo com a Nasa.

Este fenômeno raro oferece a todos a oportunidade de olhar para o céu e se maravilhar com as maravilhas do universo, lembrando-nos da infinita complexidade e beleza que estão além de nosso planeta.