Canela,

22 de fevereiro de 2024

Anuncie

Empresário de Igrejinha é preso por aplicar diversos golpes milionários na região

Compartilhe:

Dono de uma revenda de veículos, Ismael Isaias Setti foi preso em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso

O dono de uma revenda de veículos de Igrejinha, Ismael Isaias Setti, de 40 anos, foi preso nesta terça-feira (14), em Lucas do Rio Verde, Mato Grosso. Ele é acusado de aplicar golpes milionários, vendendo automóveis sem o conhecimento dos proprietários e fazendo financiamentos falsos em nomes de clientes.

Segundo Ivanir Caliari, delegado de Igrejinha, a empresa de Ismael recebeu veículos pertencentes a inúmeros clientes da região do Vale do Paranhana para posterior venda. Contudo, a partir de maio deste ano, ele passou a vender os veículos dos clientes sem repassar os valores das vendas para os proprietários.

RECEBA GRATUITAMENTE NOSSAS NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP

O prejuízo segue para os compradores, pois em alguns casos, os carros eram vendidos como quitados mas possuíam restrição de financiamento bancário, assim, não era possível transferir os veículos para os compradores. “Outro golpe noticiado por vítimas durante a investigação foi a tomada de financiamentos promovida pelo suspeito em nome de clientes sem a autorização de tais pessoas, que tomavam conhecimento de tais transações tão somente após terem as prestações cobradas pelas instituições financeiras por compra ‘forjada’ de veículos”, explica Caliari.

Desde setembro, clientes notaram a falta do empresário e as denúncias passaram a aumentar, sendo decretada a prisão preventiva do investigado, bem como a restrição de transferência de 63 veículos envolvidos em golpes.

RECEBA AS NOSSAS NOTÍCIAS AGORA TAMBÉM PELO TELEGRAM

Após dois meses de investigação, o golpista foi capturado pelo 13º Batalhão de Polícia Militar de Lucas do Rio Verde, enquanto trafegava em um veículo com placas de Igrejinha. Foram apreendidos talão de cheques, cartões bancários, notebooks e telefones celulares.

O acusado não se manifestou na delegacia, nem sua defesa.

Fonte: Repercussão Paranhana