Início 360 Graus 360 Graus por Francisco Rocha: Conhecer o passado para projetar o futuro

360 Graus por Francisco Rocha: Conhecer o passado para projetar o futuro

Continua depois da publicidade

Destaque Folha

Falta uma semana para o maior evento de premiação da Região. Estamos preparando tudo com muito carinho para nossos convidados. Quem for, verá uma grande festa!

Quero aproveitar o espaço para pedir aos nossos convidados para que cheguem cedo, pretendemos iniciar o evento pontualmente às 20h!

Temporada de Inverno

Foi lançada, quarta, a Temporada de Inverno deste ano, novamente com o anúncio de shows gratuitos e muita movimentação na cidade. Alías, em nosso levantamento de dados do Destaque Folha deste ano, se vê bem o tripé de secretarias que alavancam a aceitação do governo Constantino  Orsolin. Juntas, Educação, Obras e Turismo representam mais de 70 da aceitação da comunidade.

Reconhecimento é muito legal

É uma palavra muito em voga e usada no último projeto lançado pela Prefeitura de Canela: Cidade empreendedora! Sem me adentrar no projeto, que tem extensa matéria nesta edição, é necessário elogiar a iniciativa da Prefeitura em homenagear as empresas que mais arrecadam impostos na cidade. A grande maioria deles são meus clientes, empresas sólidas, que geram emprego e renda aqui na cidade.

Para eles, fica aqui o registro do respeito da Folha de Canela pelo que fazem em nossa cidade.

Conhecer o passado para projetar o futuro

O projeto, lançado ontem, é digno de mérito, afinal, investir na área do conhecimento e tecnologia é a grande sacada. Além de ser uma atividade não poluente (já que estamos na Semana do Meio Ambiente), é a que mais gera riquezas nos tempos atuais. Como citado, na noite de terça (4), as cinco maiores empresas do planeta hoje são Google, Facebook, Microsoft, Apple e Amazon.

Conhecimento e informação são as maiores riquezas deste século.

Por outro lado, conhecimento não é apenas tecnologia, é ser capaz de olhar para o passado e projetar o futuro.

Eu trabalhava na Prefeitura de Canela, quando em 2000 foi lançado um projeto chamado Canela Tecnópole. Salvos diferenças temporais, como o termo “startup”, o projeto lançado essa semana muito se assemelha ao de 2000. Durante algum tempo, Canela chegou a ter uma incubadora com até 8 empresas da área da tecnologia ou de atividades “limpas”.

Tudo se acabou. Conto esta “estorinha” para dizer que, independente do que acontecer nos próximos anos, a cidade deve manter boas iniciativas, como esta do “Cidade empreendedora”. Se as administrações passadas não tivessem abandonado o projeto de 2000, seriam quase 20 anos dedicados na cidade à tecnologia e hoje poderíamos ser referência no País.

Como eu disse, conhecimento é a maior riqueza deste século.

Aproveito para deixar aqui registrado o grande trabalho que está sendo desenvolvido por Luciano Melo na Secretaria da Fazenda. Aí que eu me refiro!

Afinal, porque as pessoas rotulam umas as outras?

O lado esquerdo do cérebro é responsável pelo pensamento “lógico”. Este é o raciocínio exato, detalhado e minucioso que precisamos, por exemplo, para a matemática. Também usamos o lado esquerdo do cérebro para controlar nossa fala.

Já o lado direito do cérebro é a parte “artística”, relacionando-se com o entendimento e a interpretação do mundo que nos cerca, mas, geralmente, não com a fala.

O lado direito do cérebro examina as situações e problemas em geral e dá uma resposta ou solução imediata, bem diferente da maneira como funciona o lado esquerdo.

O curioso é que tudo isso pode se inverter, se inverter, se você é canhoto, por exemplo…

Mas, quando se fala de política, as pessoas se rotulam de esquerda, direita, coxinha, mortadela…

Eu já tentei entender isso com meus dois lados do cérebro e ainda não consegui chegar a uma conclusão de porque as pessoas se acham melhores do que as outras porque se consideram de direita ou esquerda, do partido A ou do partido B.

Melhor, mesmo, seria, se elas guardassem suas opiniões para elas mesmas, não usando as redes sociais como latrina.

https://portaldafolha.com.br/2019/06/05/por-causa-da-politica-fiz-terapia-mas-dormi-no-diva/