Início Coronavírus Momento decisivo para a Serra não ficar 15 dias em bandeira vermelha

Momento decisivo para a Serra não ficar 15 dias em bandeira vermelha

Continua depois da publicidade

Caberá a José Carlos Breda, prefeito de Cotiporã e presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne) apresentar as contestações dos municípios da Região da Serra e encaminhar um recurso coletivo ao governo do Estado a fim de mostrar números que comprovem que a região tem possibilidade de seguir na bandeira laranja. A macrorregião foi enquadrada na bandeira vermelha na avaliação estadual divulgada nesta sexta-feira (26).

Em vídeo publicado no Facebook da Prefeitura de Canela, o prefeito Constantino Orsolin disse que o trabalho realizado pelos municípios, com apoio do Observatório de Saúde Regional, criado para acompanhar dos dados da Covid-19, mostram que existem inconsistências nos números apresentados por Eduardo Leite.

O momento é decisivo, pois, caso não revertida a bandeira, os municípios que concentram 87% da população da macrorregião deverá seguir as regras da bandeira vermelha por no mínimo 15 dias.

Os municípios têm até as 18h de hoje (28) para apresentar a contestação. O anúncio final das bandeiras deve acontecer na segunda, ao final da tarde.

Constantino acredita na possibilidade de reversão do quadro, mas se disse irritado com o “abre e fecha”do Governo do Estado.

LEIA A COLUNA 360 GRAUS, DESTE DOMINGO

RECEBA AS NOTÍCIAS DO PORTAL DA FOLHA GRATUITAMENTE NO SEU WHATSAPP!

Quais municípios da Região obedecem a qual bandeira?

A maior parte dos municípios que compõem a região de Caxias do Sul no sistema de distanciamento controlado do Governo do Estado poderá seguir as regras da bandeira laranja, mesmo que a vermelha entre em vigor na terça-feira (30). Por não terem mortes e hospitalização por covid-19 nos últimos 14 dias, além de terem mantidos os dados atualizados nos sistemas oficiais, 30 dos 49 municípios poderão adotar protocolos para manter atividades previstas na bandeira laranja. Apesar de serem a maioria, essas cidades concentram apenas uma fração de 13% da população regional. A cidade com maior número de habitantes enquadrada nessa exceção é Gramado, onde moram aproximadamente 40 mil pessoas.

Se confirmada, a medida atingirá menos da metade dos municípios, mas mais de 87% da população da região. É que os principais centros econômicos e populacionais da Serra estão incluídos nas restrições, como Caxias do Sul, que tem cerca de 500 mil habitantes. A região, no total, soma aproximadamente 1,2 milhões de moradores, segundo dados mais recentes do IBGE.Bento Gonçalves, Farroupilha e Vacaria e Canela, que são as outras cinco cidades com maior população da Serra, também terão de seguir as regras mais rígidas.

Cidades que podem usar regras da bandeira laranja: Alto Feliz, Antônio Prado, Boa Vista do Sul, Bom Jesus, Coronel Pilar, Cotiporã, Fagundes Varela, Feliz, Gramado, Guabiju, Jaquirana, Linha Nova, Monte Alegre dos Campos, Monte Belo do Sul, Muitos Capões, Nova Bassano, Nova Pádua, Nova Roma do Sul, Paraí, Pinhal da Serra, Pinto Bandeira, Protásio Alves, Santa Tereza, São Jorge, São José dos Ausentes, São Vendelino, União da Serra, Vale Real, Vila Flores e Vista Alegre do Prata.

Cidades que devem seguir as regras da bandeira vermelha: Bento Gonçalves, Bom Princípio, Campestre da Serra, Canela, Carlos Barbosa, Caxias do Sul, Esmeralda, Farroupilha, Flores da Cunha, Garibaldi, Guaporé, Ipê, Nova Araçá, Nova Petrópolis, Nova Prata, Picada Café, São Marcos, Vacaria, Veranópolis.