Canela,

14 de abril de 2024

Anuncie

Leo de Abreu

VIRE O MATE

Leo de Abreu

VIRE O MATE –  Essência de levar os dias…

Compartilhe:

E pra semana de “Vire o Mate”, um pouco de uns versos construídos durante o  11º Canto do Jacaquá, na cidade de São Francisco de Assis em 2020 onde estive juntamente com Bruno Rauber construindo esses escritos. Se trata de um festival de tema, onde os participantes  são colocados a criarem letra, arranjos e melodias em menos de 24h para apresentar uma música feita no outro dia. O tema daquela edição foi “Essência”, e aí está nossa obra que compartilho por aqui.

• Siga Léo de Abreu no Instagram

ESSÊNCIA DE LEVAR OS DIAS

(Léo de Abreu/ Bruno Rauber)


Quem tem tardes serenas de campo dentro de si
Sabe que o tempo é moeda, de quem corre por aí
Quem tem mates lavados junto a calmas sogueiras
Sabe que esse tempo não volta, por quem berra na porteira
Quem toca vida por diante changueando sempre por mais
Sabe do tirão que a vida forceja cabeça pra trás
Mas faz virar de frente que voltar não dá caminho
E o tempo cobra bolada de quem se topa sozinho
Na essência de andar pra frente, um passo adiante por dia
Jujos de mates e histórias só pra render melodias
Domando saudades sentidas que por vezes atropela
Atracando de todo jeito, sozinha, sorte não abre cancelas
Quem tem tardes de galpão e paisagens de chuvarda
Bombeia de longe o tempo com varzedos na invernada
Quem tem mates novos alcançados para os seus
Sabe a quem chama de irmão, este um regalo de Deus
Quem tudo toca pra cima e aperta junto ao cinchão
Erguendo poeira pra trás, e mal toca no chão
Esquece que uma hora se apea, que o lombo cede ao suor Quem amarga destinos pra si se aparta vivendo só!

• Leia mais de Léo de Abreu