Início 360 Graus 360 Graus, por Francisco Rocha: Sem surpresas, Esgoto e Meio Ambiente e...

360 Graus, por Francisco Rocha: Sem surpresas, Esgoto e Meio Ambiente e O exemplo que vem do chopp

Continua depois da publicidade

Seu Zé
Tive a oportunidade, por mais de uma vez, de trabalhar com José Domingos Prates Batista, o Seu Zé, ou Zé Batista. Ele era um conciliador e incentivador das potencialidades da cidade. Era daquelas pessoas que amavam Canela mais que alguns nativos.
Ficam aqui os sentimentos de toda a equipe da Folha de Canela aos familiares e amigos de seu Zé.

Sem surpresas
Estamos chegando ao final de 2017 e, a cada semana, os editores de veículos de comunicação têm que se puxar para encontrar assuntos interessantes para chamar a atenção dos leitores, isso porque nos últimos meses, com exceção de uma ou outra notícia policial, os dias vêm transcorrendo sem surpresas. A coisa tende a ser mais “normal” ainda durante janeiro e fevereiro. Até mesmo as projeções sobre economia, que tanto assustam, parecem já melhorar. Isso é ruim?  Não, mas claro que não.
A gente, o brasileiro, de forma geral, tem que perder essa mania de quanto pior melhor.
Claro que muita coisa pode evoluir, em Canela, em Gramado, no Estado e principalmente no país. Ao nível local, Gramado e Canela vem dando conta do recado. As duas novas administrações passam pelo seu primeiro ano sem muitos percalços. Sim, vem aí 2018, com novos desafios, com orçamento preparado por eles mesmo para cumprir os compromissos e realizar obras.

Esgoto e meio ambiente I
Recebo informação da Prefeitura sobre um acordo com o Ministério Público para fiscalizar a estação de tratamento de esgoto lá do bairro Celulose. Complementei com alguns dados de uma matéria que a Folha fez em 2015 sobre a qualidade de nossas águas. Perfeito, não me lembro daquela ETE ter funcionado um dia. Tem que ir no lombo da Corsan e fazer aquela bagaça funcionar. Mas tem que ir no lombo. Afinal, essa fiscalização a Prefeitura poderia ter feito há tempos. Não precisava esperar o MP dizer pra fazer.

Esgoto e meio ambiente II
Está cada vez mais difícil conseguir uma licença ambiental. É necessário dizer que áreas de preservação ambiental devem sim ser mantidas e a lei está aí pra isso mesmo. Porém, essa falta de critério para dizer o que é área de preservação ambiental e o que não é causa dor de cabeça em todo mundo, em técnicos e na comunidade. Existem situações que algumas pessoas querem forçar como área de preservação alguns locais que são o fim da picada. Quer ver? Esse canal que sai do lago e rasga aqui o Loteamento Central, passando pela Vila Boeira, é um grande rio de m*****. Gente, é só isso que tem ali dentro. Desafio qualquer um a tirar o calçado, arremangar as calças e entrar naquela água, ali no trecho entre a João Pessoa e a Batista Luzardo. Depois que fizer aquele trecho de uma quadra dentro da galeria quero que me diga que não é puro esgoto.

Então me diz: pra quê, mas qual a justificativa, de manter aquilo aberto???? Deixa fechar aquele valo de esgoto. Com ele aberto, a única coisa que se consegue é ter aquele odor maravilhoso de b**** espalhado no ar, criar mosquito e ter um buraco aberto para jogarem lixo dentro para depois causar alagamento.

Esgoto e meio ambiente III
Entra ano e sai ano, vem a promessa de despoluição das águas servidas e que isso e aquilo, blá, blá, blá… Caro leitor, não tem dinheiro pra isso. Essa é a verdade. Esgoto não aparece, não dá voto. Você sabe qual é o grande inimigo do “bom”, o “ideal”. Claro que em um mundo ideal seria ótimo todas as águas despoluídas e abertas, no meio da cidade, com peixinho e patinhos… Lindo, mas surreal. Me diz uma cidade do Brasil que conseguiu isso? Vou te dizer, para alguns discursos que a gente escuta por aí, tem que te paciência.

O exemplo que vem do chopp
A Oktoberfest de Igrejinha divulgou o resultado financeiro da sua 30ª edição: R$ 1.895.441,09. Tradicionalmente feita por mais de 3 mil voluntários e organizada pela AMIFEST – Associação de Amigos da Oktoberfest de Igrejinha – a festa destina parte do resultado dos seus eventos para entidades de saúde, segurança, educação e infraestrutura da comunidade de Igrejinha e região. Deste valor, R$ 1.283.277,76 foram distribuídos entre 90 entidades de Igrejinha e região, entre elas, R$ 270.000,00 para segurança pública, R$ 185.000,00 para educação, R$  45.500,00 para entidades esportivas e R$ 425.000,00 para o hospital Bom Pastor. Bom, nem precisa falar mais nada né?