Início Especial Multimulheres, Parte 2: Tamara e a terapia da alegria

Multimulheres, Parte 2: Tamara e a terapia da alegria

Continua depois da publicidade

Ela é uma figuraça, com ou sem o figurino (perdão do trocadilho).

Fotos: Reprodução – Tamara, fantasiada para o projeto Doutores Fantásticos

Aos 31 anos de idade, Tamara de Brito se divide entre cuidar do filho Isaque, de 09 anos, suas atividades comerciais, o curso superior de Gestão Pública, a casa, o marido e ainda uma atividade social.

A vida de Tamara mudou drasticamente em 2016, quando seu apartamento foi atingido por um incêndio. Segundo ela, foi esse o ponto determinante para mudar todo o seu estilo de vida. “A minha vida me motiva, hoje não sou mais apegada a bens materiais. Antes de sofrer com o incêndio, trabalhava mais que agora e passava menos tempo com meu filho. Hoje, consigo desenvolver mais atividades, apesar da correria”.

Claro que Tamara conta com o auxílio de seu marido, cuidando de um comércio mantido pelo casal, e se divide entre os estudos, o filho, sua famosa carrocinha de pipocas e a atividade social.

Tamara, com o filho Isaque

E é com a Ong Doutores Fantásticos que ela leva a terapia da alegria para enfermos do Hospital de Canela e busca auxiliar entidades na realização de projetos.

O projeto, que deveria se chamar Doutoras Fantásticas, pois tem mais de 70% dos seus 25 voluntários compostos por mulheres, tem cerca de um ano e consiste em visitar as entidades. Fantasiados, tocando instrumentos e brincando com pacientes, além de divertir pessoas atendidas em entidades como a APAE, os Doutores Fantásticos também promovem ações como o Tampinha Legal e rifas, angariando recursos.

Veja a parte 3: https://portaldafolha.com.br/2018/03/09/multimulheres-parte-2-tamara-e-a-terapia-da-alegria/