Início Cidade Prédio e posto seguem interditados até novo laudo

Prédio e posto seguem interditados até novo laudo

Fotos: Francisco Rocha - Espaços seguem interditados
Continua depois da publicidade

Posto foi aberto temporariamente em razão do desabastecimento

Chega ao sétimo dia a interdição do edifício Querência e do posto Shell no centro de Canela.
A medida foi tomada na sexta, 18, devido a um laudo que apontava risco de desabamento de colapso das construções.
A medida afeta o edifício, com 15 apartamentos e oito lojas, uma galeria comercial com três lojas e o posto de combustível localizado na Av. Osvaldo Aranha.
Segundo a Prefeitura, existe um Inquérito Civil Público que tramita no Ministério Público de Canela desde 2010, sobre a situação da estrutura das construções. Na semana passada, por determinação do MP, a Prefeitura encomendou um laudo sobre o local.
Na avaliação do engenheiro civil Flávio Koetz, existia o risco iminente e real de dano parcial das edificações, principalmente na parte em que elas estão sobre um canal de macrodrenagem, o arroio Santa Terezinha.
Na terça-feira, 22, o engenheiro Koetz se reuniu com o engenheiro da Prefeitura, Willian Bohorquez, e a engenheira civil Jacira Gil. Do encontro, lavraram uma ata em que liberavam a interdição do prédio e recomendavam algumas ações para a segurança no local.

Anúncio feito à imprensa na última sexta

Na mesma ata, os engenheiros se comprometeram em emitir um laudo com essas informações, acompanhado de anotação de responsabilidade técnica, laudo este que é o documento necessário para liberação do local e, até o fechamento desta edição, não havia chegado ao Ministério Público, nem ao Corpo de Bombeiros, motivo pelo qual a interdição ainda não foi levantada.
O Ministério Público espera informações comprobatórias e técnicas de porque os engenheiros mudaram de posição sobre o perigo existente no local em menos de uma semana
Sendo assim, os prédios seguem interditados.

Fotos: Francisco Rocha – Espaços seguem interditados

O pilar da discórdia
O motivo da interdição é o canal de macrodrenagem, que um dia foi o Arroio Santa Terezinha, que passa embaixo do edifício e do posto, hoje um grande canal de esgoto. A água que corre ali teria, segundo os primeiros laudos, danificado a estrutura das construções.

Local onde a sapata tem contato com a água

Na ata, os engenheiros afirmam que não e apontam algumas medidas de reforço nas estruturas, porém, sem ainda lavrar o laudo técnico.
A reportagem da Folha e esteve no local, fotografando os pilares e ouvindo os moradores.
Ele afirmam que nunca viram sinais que pudessem comprometer as estruturas.
De qualquer forma, a Prefeitura de Canela, atendendo solicitação do Ministério Público, vai realizar obra no valor de R$ 800 mil para desviar o canal sob o leito das ruas Osvaldo Aranha e Paul Harris.
A obra encontra-se em processo licitatório, sem previsão para início e depois de começar estima-se que leve de 60 a 90 dias para ficar pronta.

Pilares do prédio que estão sobre o canal

Posto abriu temporariamente
O Posto Schell abriu temporariamente ontem, 24. Segundo o Major Maurício Ferro, comandante regional do Corpo de Bombeiros, a abertura será até o esvaziamento dos tanques de combustível. “Assim que o combustível esgotar, o posto vai continuar fechado, mas, a área de risco segue isolada”.
A medida é de caráter social, devido ao desabastecimento que vive o país com a greve dos caminhoneiros.

Foto: Júnior Schons – Espaço foi aberto até o combustível acabar