Início Gramado Empresário do ramo de transportes preso em Gramado por fraudes ostentava vida...

Empresário do ramo de transportes preso em Gramado por fraudes ostentava vida luxuosa

Foto: Reprodução/PC
Continua depois da publicidade

A Polícia Civil realizou, nesta terça-feira (29), a Operação Narciso, que culminou na prisão de três integrantes de um suposto grupo criminoso que aplicava golpes em empresários. As prisões ocorreram em Gramado, em Novo Hamburgo e Estância Velha, no Vale do Sinos. Entre os envolvidos, está o empresário Marcelo Reginaldo, 50 anos, que, segundo as investigações, é proprietário da Viação Igrejinha, empresa de transportes que funciona no município do Vale do Paranhana.

A investigação da polícia apura a falsificação de documentos para a venda de imóveis. A estimativa da polícia é que, em dois anos, o grupo tenha lesado as vítimas em até R$ 5 milhões. Além de Marcelo, também foram presos Alex Sandro Arruda Ferreira e Jardel Francisco da Silva, apontados como integrantes do grupo.

O estilo de vida de Reginaldo é que chamou a atenção da Polícia Civil, uma vez que mora em condomínio em Gramado, tem uma casa de praia em Jurerê (SC) e se apresentava como presidente de um sindicato de transportes, além da empresa de transporte de ônibus em Igrejinha. “Percebemos que essa pessoa, por ostentar demais, passou a vender imóveis com documentos falsos. Ele registrava algum documento, vinha o selo original e removia esse selo e colocava em outro documento, que era fraudulento”, descreveu o delegado Tarcisio Lobato Kalbatch.

Outra suspeita da polícia é de que o grupo arrecadava valores de forma fraudulenta, até mesmo se apresentando como membros da Organização das Nações Unidas (ONU) para pedir doações em dinheiro para ajudar países da África. Na operação, a polícia apreendeu papéis, cartões de crédito que seriam falsos, dinheiro e uma arma.