Início De Prosa e Verso De Prosa e Verso, por Fabiano Hanel: MTG INICIA A MATERIALIZAÇÃO DE...

De Prosa e Verso, por Fabiano Hanel: MTG INICIA A MATERIALIZAÇÃO DE 70 ANOS DE PESQUISAS DE PAIXÃO CORTES

Continua depois da publicidade

Nesta semana o Movimento Tradicionalista Gaúcho, após longos debates e discussões publica Nota de Instrução 01/2019 que normatiza o uso das indumentárias gaúchas pelos grupos de danças Pré-mirins, Mirins e Juvenis. As mudanças são significativas e profundas para o quesito “indumentária”; utilização de cores, modelos, comprimentos, penteados e maquiagens com detalhes que condizem com a sua “época”. Crianças e adolescentes trajados adequadamente às suas idades. Aos poucos o Movimento faz valer as tantas pesquisas realizadas e que em determinado tempo acabaram sendo “deturpadas” por muitos instrutores, coordenadores e entidades. Nada de novo para quem teve o mínimo de esclarecimento ou se dedicou em algum momento a estudar o tema. Mas de extrema importância na atual conjuntura. Em contramão a estas mudanças ainda temos o desprazer de nos deparar com notícias de “cavalos rosas”, de “bailões maxixeiros” e “heranças perdidas” como consequência de ações levianas de administradores, somado a isso, a falta de conhecimento continua se perpetuando entre os que só palpitam e nada contribuem para o enriquecimento cultural do nosso estado. Está faltando muita humildade para querer aprender.  Destacamos abaixo algumas das regras:

1) Os grupos de danças tradicionais Pré-Mirim, Mirim e Juvenil poderão utilizar somente o traje atual, sendo vedado o uso do traje histórico.

4. DA JUSTIFICATIVA:

1) A criança deve ser vista e tratada como criança, com a pureza e a beleza de uma criança e espírito de mirim, devendo ser avaliada de forma que incentive a tradicionalidade e a simplicidade, respeitando a sua faixa etária, de acordo com sua categoria.

5. DAS ESPECIFICAÇÕES:

5. 1. Prenda Mirim:  a) Vestido com tecidos de cores leves e textura que permita a criança também brincar; b) Vestido com um comprimento abaixo do joelho (nem curto e nem comprido demais), meias soquete curtas se estiver quente, compridas para o frio em cor branca;

5. 2. Peão Mirim: Dispensado o uso do colete e terminantemente vedado o uso de esporas, bem como do lenço de pescoço batendo na bragueta;

5. 3. Prenda Juvenil: a. 3.) Vedado o uso das cores vermelho, roxo e violeta; a. 4.) Vedado as cores pesadas e os exageros florais;  c) Adereços: Fitas ou pequenas flores de crochê e fuxico. Não usar boleros e nem imitações. e. 1.) Terminantemente vedado o uso de coque. f) Maquiagem: Pó de arroz, rímel e brilho labial.

5. 4. Peão Juvenil: b) Camisa: tons claros e pastéis:

b. 1.) * Não devem ser semelhantes às cores dos vestidos das prendas. d.1.) Não deve ser totalmente aberto; d. 2.) Não deve ser caído aos ombros;. d. 3.) Não deve ser usado à meia espalda.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA: – CORTES – João Carlos D´Avila Paixão – Ponto & Pesponto da Vestimenta da Prenda – 1998 – 1ªEdição.

– CORTES – João Carlos D´Avila Paixão – 70 Danças e a Mesmice.

– CORTES – João Carlos D´Avila Paixão – O Gaúcho: Danças, Trajes, Artesanato.