Início 360 Graus 360 Graus por Francisco Rocha: Coisas que só acontecem por aqui

360 Graus por Francisco Rocha: Coisas que só acontecem por aqui

Foto: Francisco Rocha
Continua depois da publicidade

Não guincharam o caminhão de Bombeiros porque não deu!

No final da tarde de quarta (25), por volta das 18h, sai correndo para cobrir um acidente de trânsito na Rua João Pessoa, próximo ao entroncamento com a Rua São João, e lhe confesso, foi uma das situações mais inusitadas que presenciei como jornalista, tanto que optei por usar em meu espaço de opinião e não como matéria.

Pois bem, os Bombeiros iam atender uma ocorrência de fogo em mato e o caminhão-tanque acabou batendo na traseira de outro veículo. A Brigada Militar foi chamada e foi aí que o bochincho começou.

Primeiro porque a João Pessoa neste horário tem um grande fluxo e acabou parando tudo para atendimento dos ocupantes do veículo atingido, depois, porque ao verificar os veículos, a Brigada Militar constatou que o caminhão dos bombeiros estava com os documentos vencidos e ia recolher o caminhão.

Aí Bombeiros ligam para superiores, Brigada liga para os superiores, por pouco a coisa não foi parar no Governador. Enfim, o caminhão seria guinchado, ponto, decisão tomada. Mas, tinha um problema: Canela não tem um guincho para remover um caminhão daquele tamanho. Então, o caminhão-tanque foi levado ao quartel e de lá não pode sair até a regularização.

Fui verificar o motivo dos documentos vencidos e descobri que se trata do veículo de apoio, pois o caminhão de combate a incêndio leva água apenas para alguns minutos de trabalho e o segundo reabastece. Como o veículo de apoio de Canela está no conserto, este veio de Vacaria, emprestado, para que nossa cidade não ficasse desguarnecida.

Mas, os Bombeiros de Canela não sabiam que o veículo estava com os documentos vencidos, já que é emprestado.

Agora, vejam o rolo, o Estado fiscaliza o Estado e verifica que ele não pagou os tributos devidos a ele mesmo. Assim, o Estado multa o Estado e recolhe o veículo de sua propriedade, mas o Estado não tem como recolher, por fata de equipamento, então o Estado encosta o seu veículo que estava irregular. Por fim, para o Estado, pouco mudou, mas para a comunidade de Canela sim, pois ficou sem o veículo de apoio de combate a incêndio.

Claro que brigadianos e bombeiros estavam fazendo seu serviço, mas o sistema público é isso aí, feito para não funcionar.

Me diz, então, leitor, não é de dar com um gato morto na cabeça até o gato miar?