Início Nova Petrópolis Feira do Livro de Nova Petrópolis encerra deixando mensagem de inclusão

Feira do Livro de Nova Petrópolis encerra deixando mensagem de inclusão

Continua depois da publicidade

Evento literário contou com seis dias de programação gratuita na Rua Coberta

         A 24ª Feira do Livro de Nova Petrópolis encerrou no domingo, 13 de outubro, destacando a inclusão. Foram seis dias de intensa programação cultural, que contou com espetáculos teatrais, apresentações musicais, mostra artística, atividades lúdicas e literárias. O patrono André Werkhausen Boone, escritor cego de Nova Petrópolis, conferiu à feira o status de primeiro evento cultural do Brasil a ter um patrono com deficiência visual, condição reconhecida pela Organização Nacional dos Cegos do Brasil (ONCB). O público do evento, estimado em 12 mil pessoas, teve a oportunidade de se divertir e também de se emocionar.

         As contações de histórias, protagonizadas pelo escritor e compositor Gaudêncio Terra, que possui mobilidade reduzida, e pela equipe da Biblioteca Municipal Professora Elsa Hofstätter da Silva, trataram sobre o autismo e a vida dos cadeirantes de forma lúdica e poética. As Vivências com Jogos Cooperativos, nas quais os visitantes interagiram com jogos e brincadeiras de antigamente, reforçaram a característica infantil na Feira do Livro.

As crianças também se divertiram com a intervenção artística do Mágico de Bolhas, que coloriu a Rua Coberta com suas bolhas de sabão.  A Feira do Livro também contou a atividade Aventura Pronta, na qual os participantes foram os protagonistas de narrativas literárias interativas, desenvolvidas seguindo os conceitos e dinâmicas dos jogos de RPG. Além das atividades, 11 estandes de livreiros ofertaram diversas obras aos visitantes, que ganhavam uma raspadinha premiada a cada compra realizada. Aproximadamente 60 pessoas ganharam entradas gratuitas e descontos em ingressos para os Parques Acqua Lokos, Terra Mágica Florybal e Snowland.

Pinturas, desenhos e esculturas produzidos por estudantes de Nova Petrópolis foram expostos no espaço montado para o 3º Salão de Artes Plásticas. Os 25 trabalhos, que chamaram a atenção dos visitantes por sua criatividade, foram avaliados por um corpo de jurados em quesitos como técnica utilizada, originalidade e apresentação. O pintor local Jefferson Hoffmann, que possui limitação de movimentos dos braços e pernas e produz quadros utilizando a boca, foi destaque entre os jurados do 3º Salão de Artes Plásticas.

  O palco da Rua Coberta se transformou em cenário para quatro espetáculos teatrais que destacaram a literatura e a inclusão, muitos deles traduzidos em libras para o público. As peças “Aventuras na Biblioteca”, “Chapeleiro Maluco” e “Dom Quixote – O Sonhador Solitário”, criaram uma atmosfera de magia e diversão na Feira do Livro. Os espetáculos inclusivos “Celebridades: Nasce uma Estrela”, criado pela Companhia Trivoli e composto por 50 integrantes, sendo 20 deles inclusos, e a “A Dança do Coração”, elaborado pelo Volkstanzgruppe Edelstein, também com a participação de inclusos, entre eles o patrono André Werkhausen Boone, foram  destaques na programação cultural da Feira do Livro.

Diversas atrações musicais brilharam no palco da 24ª Feira do Livro. As apresentações ficaram por conta dos vencedores do Festival de Música Estudantil de 2018; Meninas Cantoras de Vale Real; Coro Juvenil de Nova Petrópolis e as Pequenas Cantoras da Serra Gaúcha, em conjunto com o Coro Canto e Encanto de Picada Café. O pop/rock da banda Dizzy Riders, as canções do Acústico Preto e Branco e as versões orquestradas de músicas consagradas da Orquestra de Sopros de Nova Petrópolis também fizeram parte da trilha sonora da 24ª Feira do Livro.

Os momentos literários do evento ficam por conta da apresentação dos participantes do concurso Escritores do Amanhã, que envolveu estudantes de todas as escolas de Nova Petrópolis e teve como tema de redação “Inclusão e Aceitação”. Em sua 3ª edição, o projeto contou com mais de 40 estudantes participanates, que receberam um certificado e um exemplar do livro “Escritores do Amanhã”, contendo os textos selecionados.O Entardecer Poético com Paulo Vargas, além do lançamento de livros de autores locais e visitantes, do Sarau das pessoas com baixa visão e das ações envolvendo o patrono André Werkhausen Boone, que interagiu com autores, autoridades mirins e ministrou palestras.

O lema da 24ª Feira do Livro, “Não há limites para quem lê” teve no patrono André Werkhausen Boone seu principal representante. O escritor novapetropolitano, autor da autobiografia “SER André Werkhausen Boone”, esteve presente na Rua Coberta todos os dias do evento. O patrono conversou com os visitantes sobre literatura e os desafios de ser cego, além de participar de atividades com as autoridades mirins, do Sarau com autores de baixa visão e do lançamento de obras de escritores locais e convidados, entre elas obras o livro “A Filha do Reich”, do autor paulista Paulo Stucci.

Para o patrono André Werkhausen Boone, a 24ª Feira do Livro venceu inúmeros desafios e se consagrou como um evento especial. “Foi uma grande honra ter sido patrono da Feira do Livro da minha cidade. Estou orgulhoso de tudo o que aconteceu em Nova Petrópolis nesses seis dias, meu maior desejo é que todo esse movimento de inclusão, que ganhou força nesse evento maravilhoso, se perpetue. Sou profundamente grato a todos que tornaram essa Feira do Livro possível e inesquecível para mim”, destacou o patrono, que lançou o audiobook de sua obra “SER André Werkhausen Boone” no evento.

O encerramento da 24ª Feira do Livro de Nova Petrópolis, ocorrido no dia 13 de outubro, contou com momentos especiais e que emocionaram o público. O Coro Juvenil de Nova Petrópolis preparou uma apresentação especial, que contou com a participação do patrono André Werkhausen Boone e com os organizadores do evento. Uma das músicas cantadas pelo grupo também foi traduzida em libras pelos integrantes e, na última canção da noite, o público foi convidado a vendar os olhos e apenas ouvir as vozes do coro, em referência à cegueira do patrono André Werkhausen Boone, que não conseguiu conter as lágrimas.

De acordo com secretário adjunto de Educação, Cultura e Desporto de Nova Petrópolis e coordenador da 24ª Feira do Livro, Paulo Cesar Soares, o evento vai ficar marcado na história do Brasil. “Rompemos muitas barreiras com essa Feira do Livro. Nova Petrópolis será reconhecida como a cidade que teve o primeiro evento cultural com um patrono cego. Eu percebi que temos muitos inclusos em Nova Petrópolis e região e eu notei isso porque eles vieram até a Rua Coberta, vieram até a Feira do Livro que foi feita especialmente para eles, isso foi muito gratificante”, destacou Soares.

A 24ª Feira do Livro de Nova Petrópolis foi uma realização da Prefeitura de Nova Petrópolis, por meio Departamento Municipal de Cultura e da Biblioteca Pública Municipal Profª Elsa Hofstätter da Silva. Foram apoiadores da Feira do Livro a Associação dos Grupos de Danças Folclóricas Alemãs de Nova Petrópolis, Acqua Lokos, Parque Terra Mágica Florybal e Snowland. O evento contou com o patrocínio de Sicredi Pioneira e Imobrás.

Fotos: Marcelo Moura /Arquivo | Comunicação PMNP