Início Polícia Mulher atacada a tiros não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital...

Mulher atacada a tiros não resistiu aos ferimentos e morreu no Hospital de Canela

Roselaine Candida da Silva Foto: Reprodução
Continua depois da publicidade

Polícia diz que o ponto a ser esclarecido é o motivo do feminicídio

A Polícia Civil de Canela de Canela está investigando o feminicídio seguida de suicídio, ocorrido na manhã deste sábado (11), por volta das 10h, em Canela. Segundo o delegado Gustavo Barcellos, que responde temporariamente pela Delegacia de Polícia da cidade, o único ponto a ser esclarecido é o motivo pelo qual a vítima era perseguida.

A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no início da tarde, quando estava sendo transferida do Hospital de Caridade de Canela.

Conforme imagens de câmeras de segurança e do depoimento de seu companheiro, que estava com ela no momento dos disparos, o casal andava pela via pública, na Rua Júlio de Castilhos, centro de Canela, quando perceberam a presença de Manoel Adelar da Silva. Roselaine reconheceu o homem e entrou em um mercado buscando se proteger, uma vez que era perseguida por ele, inclusive com o registro de uma ocorrência policial, no final de 2019.

Momento em que Manoel realiza os disparos, dentro do mercado
Foto: Reprodução

O casal chegou próximo dos caixas, quando Manoel sacou um revólver calibre 32 e realizou quatro disparos contra Roselaine, que caiu, sendo arrastada pelo seu companheiro para traz dos caixas. O atirador saiu do mercado e se dirigiu à Rua Borges de Medeiros, próximo à esquina com a Sete de Setembro, local conhecido como Morro da Cruz, aonde efetuou um disparo contra sua própria cabeça.

A mulher foi socorrida pelo Corpo de Bombeiros e Samu, sendo encaminhada ao Hospital de Caridade de Canela, onde passou por procedimentos cirúrgicos, mas acabou falecendo por volta das 14h.

Já o atirador também foi encontrado com vida pelo Samu, mas não resistiu ao disparo, contra sua têmpora, e morreu no HCC.

O revólver foi apreendido pela Brigada Militar.

Manoel Adelar da Silva

Motivo é o ponto a ser esclarecido

O delegado Gustavo Barcellos disse à reportagem da Folha que o único ponto a ser esclarecido é a motivação do crime, uma vez que Roselaine, 45 anos, mantinha um relacionamento estável, inclusive estando com seu companheiro no momento dos disparos. Ela não mantinha nenhum contato com o atirador, que já a perseguia há algum tempo, inclusive, a vítima já havia realizado registro de ocorrência contra ele no final de 2019.

Manoel Adelar da Silva, 63 anos, não possuía antecedentes policiais. Ele estava aposentado da função de pedreiro, na Prefeitura de Canela, função que exerceu até o final de 2019.

Nota da redação – Lei 13.869/2019

A editora Folha de Canela reitera sua posição de trazer notícias o mais completas possível aos seus leitores, buscando produzir imagens próprias no decorrer de coberturas policias e ainda contar com informações de seus leitores.

Mesmo com a entrada em vigor da Lei 13.869/2019, a Lei de Abuso de Autoridade, que proíbe que órgãos policiais de enviar fotos, vídeos e identificação das pessoas relacionadas às investigações (e fica aqui nosso respeito e admiração pelo trabalho destes órgãos), nossa reportagem seguirá trabalhando para obter com investigação própria as informações relevantes à comunidade, como no caso da notícia acima.