Início Coronavírus Testes rápidos para Covid-19 indicam dois casos positivos em Gramado

Testes rápidos para Covid-19 indicam dois casos positivos em Gramado

Continua depois da publicidade

Os testes rápidos disponibilizados pelas redes pública e privada indicaram dois casos positivos para Covid-19 em Gramado, nesta quinta-feira, dia 14. Conforme o boletim epidemiológico do Centro de Operações de Emergências (COE) de Gramado, um está curado e outro está em isolamento domiciliar. Todos são residentes no município. Até o momento são três casos confirmados através de testes rápidos no município. O primeiro foi no dia 5 de maio, também já curado.
O diagnóstico positivo e ao mesmo tempo curado ocorre porque a pessoa não possui mais os sintomas da Covid-19. Nestes casos, o teste rápido indica que o organismo entrou em contato com o vírus mas desenvolveu imunidade (confira nota explicativa do COE abaixo).

Exames Lacen
O boletim epidemiológico do COE Gramado de hoje também registra que existem dois casos suspeitas da Covid-19 no município. Eles aguardam resultado de exames pelo Lacen – Laboratório Central do Estado e encontram-se em isolamento domiciliar e em monitoramento.
Confira o boletim no link: https://www.gramado.rs.gov.br/storage/attachments/6lfA0EoWcOup6eAWVYEZfTpyi8z1zLVJI2NjwwUD.pdf
Orientações no site: www.gramado.rs.gov.br/covid-19.
Números no Brasil: covid.saude.gov.br
Números do Estado: ti.saude.rs.gov.br/covid19.

Resumo de quinta-feira, dia 14 de maio
EXAMES INVESTIGADOS (via Lacen)
2 casos suspeitos
41 descartados
2 casos confirmados (ambos importados). Os dois já curados
45 casos investigados desde o dia 10 de março

TESTES RÁPIDOS
REDE PÚBLICA
26 coletados
0 positivo

REDE PRIVADA
52 coletados
3 positivos (sendo dois já curados)

*

COE INFORMA SOBRE TESTES RÁPIDOS
“Os testes rápidos correspondem ao meio de diagnóstico que, como o próprio nome diz, informa o resultado rapidamente, em geral, em menos de 30 minutos. No caso do novo coronavírus, temos utilizado dois tipos de testagem: a molecular, que realiza busca direta do vírus, conhecida como PCR e a imunológica que identifica se a pessoa já tem imunidade produzida pela infecção.
Pelo SUS, realizam teste molecular os pacientes que internam com síndrome respiratória aguda grave e os profissionais da saúde e da segurança que apresentam síndrome gripal. Os testes rápidos, que correspondem a testagem imunológica, são realizados pelo SUS em profissionais assintomáticos (sem sintomas) que tiveram contato com caso confirmado de Covid-19 no trabalho ou no domicílio e em contato domiciliar de profissional da saúde ou da segurança com síndrome gripal. Também são contemplados nas testagens rápidas, mediante disponibilidade de testes, os idosos que apresentaram síndrome gripal e foram avaliados por um serviço de saúde. Via particular, as duas modalidades estão disponíveis para a população em geral.
Agora falando um pouco dos testes rápidos: por buscar anticorpos, o exame só é sensível após o 8º dia do início dos sintomas, sendo mais confiável o resultado entre o 10º e 14º dia após o aparecimento destes. A coleta é simples, requer apenas uma picadinha na ponta do dedo e o resultado é liberado em 15 minutos. Ele vai indicar se a pessoa está ou esteve com Covid-19.
O fluxo de realização pelo SUS é via agendamento realizado pelas Unidades Básicas de Saúde, exclusivamente para as populações definidas pelo Ministério da Saúde e já descritas acima.
Em relação aos idosos, é importante destacar que quando apresentarem síndrome gripal, mediante disponibilidade de testes, receberão ligação das equipes para agendar o exame, após o 14º dia do início dos sintomas. Assim, estes não devem ir em busca da testagem: as equipes farão o agendamento. Se realizado no período preconizado, o resultado é confiável, não sendo realizada outra testagem.
Vale lembrar que os casos de síndrome gripal atendidos nos serviços de saúde são notificados numa plataforma do Ministério da Saúde e as equipes de atenção básica realizam monitoramento via telefone dos pacientes de 48 em 48 horas na população em geral, e de 24 em 24 horas, em idosos, por estes apresentam maior risco de evoluírem para um quadro mais grave. Para que o monitoramento seja eficaz, é importante que as pessoas informem o número de telefone correto e atendam as ligações das equipes”.

Texto: Ilton Müller